Atualização: entrevista com a Márcia Imperator

qui, 24/04/14
por Bárbara |

Em minhas buscas pela internet, acabei achando uma entrevista com a Márcia (bem recente, do ano passado). Ela é bem sincera quando fala do mundo pornô e não se mostra nem um pouco arrependida do feito.
Não duvido nada que ela voltaria a filmar se o cachê pago fosse minimamente decente!

Sem mais delongas, Márcia Imperator:

Beijinhos,

De volta ao batente, g0ys e outras coisinhas mais…

qui, 24/04/14
por Bárbara |

Oi pessoal,

Depois de uma semana sem posts ou qualquer movimento no blog, estou de volta! Não sei se todos sabem, mas sou carioca e aqui no Rio tivemos um mega feriadão, daqueles que vem, passam e nos deixam cheias de saudade…aproveitei esses dias para dar uma relaxada e viajar, por isso a falta de atualização aqui no blog (por mais que eu ame meu trabalho e o pratique todo dia, sempre é bom dar uma desligada do mundo, né). Mas pode deixar que já estou de volta e cheia de gás para atualizar vocês do que está acontecendo na minha vida e no mundo do sexo!

——————-

Já começando, enquanto estava viajando me mandaram algumas notícias sobre um novo movimento que está surgindo pelas cidades do Brasil: g0ys. Já ouviram falar?
São homens, que se dizem heterossexuais, mas que podem manter relações com outros homens. Mas então, qual é a diferença entre um g0ys (ao invés de A, eles usam um zero) e um gay? A relação entre goys não pode ter penetração anal. E só isso. O resto vale tudo, beijo, amasso, carinhos e sexo oral. Só não vale sexo anal, se não você não é g0y, é gay.
Além disso, existem algumas outras regras. Eles não podem manter um relacionamento sério com outro cara, é só para diversão e experimentação sexual. Casar, só com mulheres.

“As regras são bastante claras para definir o pensamento desse grupo. Há alguns mandamentos simples: g0ys não namoram nem se casam com outros g0ys, “têm no máximo uma amizade íntima”, que definem como um “bromance” (contração das palavras em inglês brother – irmão – e romance). Eles só se casam com mulheres e não podem se envolver com a comunidade LGBT, além de não permitir qualquer associação com “imagens e clichês do mundo gay”.

- Um g0y é uma pessoa que antes vivia no armário e hoje pode expressar-se de uma forma livre e autêntica, mostrando que não é um enrustido, mas sim um hétero homoafetivo, consciente dos seus limites. É um elo entre héteros e homos – define Claudio LaPaz, autor do blog “Somos G0ys”.” via oglobo.

Sinceramente? Acho tudo uma grande palhaçada. Chega de rótulos galera, para que criar mais um? Quer sair do armário, saia e seja feliz. Para mim isso só é um jeito de sair pela metade, botar um pézinho, ver como é e depois poder voltar para a segurança do armário, livre de jugalmentos da sociedade. Pode ter oral, mas não anal? Fala sério! Para mim, é simples. Gosta de homem? Arranje um e vá ser feliz. Gosta de mulher? Mesma coisa. Gosta dos dois? Arranje alguém que não tenha problemas com isso. Sem rótulos, sem pressão. Todo mundo transando, fazendo o que dá prazer e sendo feliz.

Além disso tudo, algumas linhas de pensamento g0y ainda apresentam traços homofóbicos:

“Para o antropólogo, acreditar que só é gay quem pratica sexo anal é um equívoco.

- A homossexualidade não é sinônimo de cópula anal. Alternativas como sexo oral ou masturbação recíproca fazem parte da prática homoerótica desde a Grécia Antiga – explica Mott, que não acredita na perpetuidade dos g0ys. – É um modismo, como as lesbian chics ou os HSH (homens que dizem fazer sexo com outros homens sem se identificar como homossexuais), sendo que essas microidentidades têm um componente homofóbico, pois preconceituosamente identificam o gay como um estereótipo.” via oglobo.

O grande problema, o grande X da questão, para mim, é o medo da sociedade, do preconceito, dos jugalmentos. Imagina você virar para sua família, amigos, etc e falar que é gay? Em uma sociedade preconceituosa como a nossa, é uma barra e TANTO fazer isso. Requer uma coragem imensa. O g0y é um cara que não quer passar por tudo isso, quer manter as aparências perante a sociedade mas na verdade, gosta mesmo de outros caras. E qual é o problema disso? Acho muito mais honesto aceitar, admitir isso para si mesmo do que ficar mentindo e sendo infeliz. E fazendo outra pessoa infeliz, já que muitos provavelmente tem mulheres, noivas, namoradas, etc…

Menos rótulos e mais amor, por favor!

——————-

E para finalizar, gostei muito mesmo da repercussão que teve a nova coluna do blog, o Por Onde Anda. Obrigada por todos os comentários e elogios!
Anotei o nome de todas as atrizes que vocês deram como sugestão para o próximo post, e gostaria de saber: quem vocês preferem? Foram tantas que fiquei na dúvida sobre qual delas escrever rs.

Os nomes: Jéssica Correa, Mayara Rodrigues, Natalia Lemos, Karina Ferrari ou Vivi Fernandes. Quem vocês preferem? Ou, podem sugerir outras também!

Beijinhos,

Por onde anda…Carol Miranda!

qui, 17/04/14
por Bárbara |

Depois de ver em um dos comentários do primeiro “Por Onde Anda” o nome dela, pensei um pouco, pesquisei e resolvi escrever a segunda matéria desta nova coluna sobre ela, Carol Miranda!

Carol Miranda nasceu em 1988, em São Paulo. Ela surgiu na mídia como a nova Gretchen, devido a um parentesco com a eterna Rainha do Rebolado. Na verdade, ela é sobrinha de um ex-marido – dos muitos que ela teve – da Gretchen, mas sempre afirmou que se sentia parte da família Miranda, por isso o nome artístico de Carol Miranda (o nome verdadeiro dela é Ísis Caroline de Mello).

Depois de fazer relativo sucesso relançando alguns clássicos da Gretchen e aparecendo em alguns programas de fofoca, veio o primeiro convite para posar nua. Com 18 anos recém feitos, Carol nem pestanejou e resolveu aceitar o convite. Vale lembrar que, além de ter ficado famosa por ser sobrinha da Rainha do Rebolado, Carol também tinha ficado famosa por outro detalhe…ela dizia e afirmava que era virgem. 

Com o sucesso que vinha alcançando na mídia e com o lançamento da revista adulta, não tardou e ela começou a receber convites para fazer filmes pornográficos. Se fez de difícil, negou à princípio, mas com o cachê chegando a valores bem satisfatórios, Carol resolve fazer o filme, na época do auge da indústria onde diversas estrelas também haviam embarcado nessa. Porém, havia um detalhe…ela não queria perder a virgindade em um filme pornô, o cachê para isso teria que ser muito maior do que estavam pagando (na época ela dizia que estava se guardando para o cara certo – claro, a gente acredita). Então, qual seria a solução para o impasse? Liberar a porta de trás, claro! Assim ela poderia continuar virgem e ganhar uma boa grana fazendo o filme. E foi assim que, ainda com seus 18 aninhos (em 2008), sai o seu primeiro filme pornô com o sugestivo nome de Fiz Pornô…e continuo Virgem! Duas cenas, só com sexo oral e anal.

Boom! O filme foi um sucesso total e absurdo. Carol, com um filme só, foi alçada a categoria de estrela do pornô nacional. E era óbvio que a gata não pararia só com um filme. Aumento de cachê e pronto, mais um filme da morena era lançado. E óbvio, o filme precisava de algo à mais para o lançamento, afinal o que as atrizes mais demoram para fazer, sexo anal, ela já tinha feito de cara. Solução? Liberar geral! E assim nasceu o segundo filme da gata, Perdendo o Selinho, também de 2008. Mais um sucesso emplacado. Carol ainda fez alguns outros filmes, mas nenhum que fizesse jus ao sucesso de seus dois primeiros lançamentos. O resto da filmografia dela é composta por:

2008 – Carol Miranda: A Stripper dos seus sonhos
2009 – Caroline Miranda Vs Julia Paes
2009 – Encantos de uma Sereia
2009 – Caroline Miranda: Rainha da Bateria

Depois disso, a indústria pornô começou a dar sinais de perda de fôlego, com as vendas de DVDs despencando e algumas produtoras fechando. Ela decide encerrar sua curta carreira e, junto com Júlia Paes (que também havia parado de fazer filmes) e Sabrina Boing Boing, lançam o grupo Sexy Dolls (claramente inspirado em Pussycat Dolls). Fizeram algum sucesso, mas acabaram em 2010 quando Júlia decide sair do grupo.

Nossa estrela entra em um período de hiato e de transformação. Some um pouco da mídia, se dizendo muito arrependida de ter feito filmes pornográficos (em entrevista dada para um programa de TV). Eis que, depois de um tempo sumida, surge Carol Shine. Aliás, DJ Carol Shine. E ter virado DJ não é a única novidade. Ela também virou uma garota fitness! Gente, é sério. Demorei algum tempo olhando e pesquisando para ver que se tratava da mesma pessoa, que a Carol Shine era a Carol Miranda. A menina se transformou totalmente! Confiram vocês mesmos:

Agora, ela faz algum sucesso nas redes sociais e vive de fazer shows em casas noturnas. Mas fato que muito de sua fama deve-se ao seu período no pornô.

Abaixo, uma entrevista recente dada para o programa Lucimara Parisi. Em vídeo fica bem mais fácil de ver o tamanho da transformação…e reparem que ela nem toca no assunto de filmes pornô.

 

——————————

Quer saber por onde anda alguma atriz ou ator pornô de quem você é fã e sumiu sem deixar rastro? Deixa o nome dele nos comentários, ou pode mandar um email também para o sexyhotresponde@outlook.com.

Beijinhos e bom feriado!

Uma homenagem a Emma Watson

qua, 16/04/14
por Bárbara |

Nem parece, mas ontem Emma Watson completou 24 aninhos. Ok, vocês devem estar se perguntando o que eu ou mesmo vocês tem haver com isso. Mas o fato é que gosto, aliás, sou viciada em Harry Potter e considero a Emma um absurdo de gata (sim, gostaria muito de esbarrar com ela em Londres). E parece que foi ontem que vimos ela pela primeira vez na tela grande, ainda pré-adolescente…quem diria que aquela menininha iria virar um mulherão.

A gata inglesa surgiu para o mundo nos filmes da franquia Harry Potter. Mas à medida que ela foi crescendo e ficando cada vez mais bonita, começou também a fazer trabalhos como modelo, além de ir fazendo outros filmes para consolidar a sua carreira como atriz. Por exemplo, ela pode ser vista no Bling Ring, excelente filme da Sofia Coppola e mais recentemente em Noé, do Darren Aronofsky. Na parte da moda, ela já fez trabalhos para grifes como a britânica Burberry e a francesa Lancôme.

Mas bem, esse blog não é uma coluna de fofocas:

Beijinhos,

Reta Final: Garota Penetra 2014

ter, 15/04/14
por Bárbara |

Já tem a sua favorita? O Garota Penetra 2014 está entrando na sua reta final. Só faltam 10 dias para o encerramento das votações!
Corre que ainda dá tempo de votar na sua favorita!

Ainda não conseguiu se decidir? Deixa eu te dar uma ajuda:

Beijinhos!

Direto de Portugal…

ter, 15/04/14
por Bárbara |

Depois do post manifesto, um pouco de putaria para alegrar a todos nessa terça feira fria e chuvosa (pelo menos no Rio de Janeiro).

Por ter vindo direto da terrinha, o português é o de Portugal, mas não atrapalha em nada a leitura…
Leia, imagine, goze!

Beijinhos,

——————————————–

Adoro sexo, mas não sabem que gosto particularmente de duas coisas, Anal e de esperma. Sou doida pelo cheiro, sabor e consistência do esperma, gosto que se venham em cima de mim, mas sobretudo na boca para eu poder engolir. Descobri este gosto quando aos 18 anos o meu namorado me fez engolir a primeira vez e a partir desse dia fiquei viciada. Pouca gente sabe disto, vão sabendo os meus namorados e sabe a Patrícia, minha amiga de infância e que partilha o mesmo gosto que eu.

É isso que vos vou contar, a primeira vez em que provei esperma e fiz anal. Frequentava na altura o 1º ano de enfermagem em Lisboa e namorava há uns meses com o António um colega da faculdade que andava dois anos à frente. Estávamos em época de exames e como tal muito stressados e com pouco tempo um para o outro. As coisas não me estavam a correr bem e disse ao António para não me procurar até ao final dos exames que precisava de me concentrar. Ele não gostou nada da ideia e tivemos uma discussão séria que só foi resolvida quando eu prometi que depois dos testes o compensava fazendo tudo o que ele quisesse. Passaram os exames e no primeiro sábado livre fomos sair, jantar, beber uns copos ouvir música. Passava pouco da meia noite eu já estava muito bem disposta e o António disse que era hora de irmos para casa dele para eu cumprir a promessa.

Assim fizemos e por muito que perguntasse ele nunca me disse. Eu que já andava com fome calculava que ele também estivesse assim. Só de imaginar comecei a ficar molhada. Já na sua residência fomos para o seu quarto onde ele me despiu e me lambeu de alto a baixo fazendo-me vir só com a língua. Depois disse que me queria vendar, que esta noite eu não iria ver nada do que ele ia fazer. Barafustei, mas fui lembrada da promessa e lá acedi, embora relutante. Já vendada senti-o despir-se e aproximar o membro da minha cara. “chupa-me Filipa, como nunca fizeste” e introduziu a cabeça entre os meus lábios. Adorava o seu sabor. O seu membro não era muito grande nem grosso, mas aguentava muitas horas de acção e vinha-se em quantidades obscenas. Mamei com gosto e dedicação e o facto de estar vendada contribuía mais para a minha excitação. Senti-o aproximar-se do orgasmo e como sempre fazia recuei para que se viesse nos meus peitos mas segurando-me na cabeça disse-me baixinho “Não, hoje não, hoje vais provar e beber o que te der, prometeste” e voltando a colocá-lo na minha boca começou a vir-se.

Não estava à espera de tanta esporra e nunca tinha provado mas tinha nojo instintivo pelo que tentei apenas ficar com aquilo na boca para cuspir mais tarde, mas a quantidade era tal e ele nunca tirou o pau de dentro de mim que fui obrigada a começar a engolir para não sufocar. Primeiro deu-me vómitos mas aos poucos fui apreciando o sabor e quando ele deixou de se vir já eu engolia tudo com muito prazer recolhendo o que me tinha caído para o peito e lambendo os dedos. O António nem queria acreditar no que estava a ver e acho que nem chegou a ficar flácido pois ainda não tinha acabado e já ele voltava a aproximar o pau da minha boca para o limpar o que fiz gulosamente. “Querido, é tão bom. Tens que me dar mais. Promete” “dou-te sempre que quiseres amor, ficas tão sexy assim”.

Eu continuava vendada e sentia que as coisas não iriam ficar por ali e como estava certa. Virou-me de costas e colocando-me de quatro começou a lamber-me o olhinho, coisa que ele sabia que eu gostava. No meio dos meus gemidos ouvi-o dizer “agora vais continuar a cumprir a tua promessa. Vou comer esse cu que quero à tanto tempo e lambuzando-me muito com cuspo aproximou a cabeça da entrada e foi pressionando de encontro ao olhinho que a custo foi abrindo para dar passagem. Não sei se pela excitação ou se por ter nascido para dar o cu aquilo não custou tanto como esperava e em poucos segundo estava a pedir para ele enterrar até ao fundo e só parei de pedir quando senti as bolas a baterem-me na cona o que coincidiu quase de imediato com mais um orgasmo dele que me encheu por dentro e me fez gozar com uma nova sensação. Mesmo assim fiquei muito chateada e a mandar vir com ele.

Coitado, para ele também era a primeira vez e não aguentou tanta excitação. Mas, tal como disse ele aguentava muito e sem nunca sair de dentro do meu cu senti-o ficar novamente duro e pedi-lhe para me foder com força e com gosto o que ele fez enterrando-se até aos tomates para logo a seguir sair totalmente de mim e repetir o movimento. Aquilo estava a deixar-me doida e levei a mão ao meio das pernas acariciando-me o que em pouco tempo me fez vir 2 vezes consecutivas deixando-me quase prostrada só tendo força de dizer “dá-me o teu leite dá!” mas não fui a tempo. Mais uma vez veio-se dentro de mim. Juntamente com o seu anterior orgasmo a esporra era tanta que corria do meu cu em cascata pelas pernas abaixo. Apesar de cansada a tesão era maior e comecei a mandar vir com ele que queria mais leite.

Ele tirou-me a venda, olhou para mim com um ar aluado e disse “se queres leite eu arranjo-te. Fica aí e espera. E nem penses em dizer que não.” E saiu do quarto voltando dez minutos depois com dois colegas da residência. “Queres leite Filipa? Então aqui tens. Mama tudo e bebe tudo” Primeiro fiquei parada sem acreditar , mas quando senti um daqueles paus à minha frente tratei de abocanhá-lo e não demorou para se vir. Muito menos que o António e o sabor era diferente. Depois veio o segundo colega e levou o mesmo tratamento terminando comigo a beber tudo. Os rapazes estavam de boca aberta quando o António os mandou embora. Olhei para ele, toda suja de esporra com restos nas mamas, nas bochechas e nos lábios e ele que estava duro que nem rocha fodeu-me a boca com uma violência incrível tal a tesão que tinha e acabou mais uma vez comigo a beber tudo.

Depois estávamos os dois cansados e fomos dormir.

Escusado será dizer que desse dia em diante fiquei fã de leite e de sexo anal, até hoje.

via Sapo

——————————————–

Tem alguma história picante e quer compartilhar? É só enviar para sexyhotresponde@outlook.com!

Prometo ler todas que enviarem e colocar as melhores aqui! E se você por acaso tiver alguma dúvida ou comentário, mas tem vergonha ou é muito tímido para usar a parte dos comentários, pode me enviar um email também que leio e respondo todos com muito carinho!

Muito cuidado com o que você coloca na internet

seg, 14/04/14
por Bárbara |

Nunca foi tão fácil compartilhar conteúdos. Desde o ínicio até a popularização total da internet, a forma como lidamos com conteúdos mudou muito. Em um ínicio onde as conexões não eram tão boas, só compartilhávamos textos. Depois veio o gif (que voltou a moda), imagens, fotos, música, vídeos…praticamente tudo relacionado a conteúdo pode ser distribuído de forma rápida e sistêmica pela internet.

Em paralelo ao desenvolvimento da internet, tivemos também a substituição de meios de (chamemos assim) produção analógicos para meios de produção digitais. Resumindo, ficou MUITO mais fácil produzir conteúdo. Quando antigamente era necessário comprar filme, colocar na máquina, tirar fotos, revelar para só então ter o resultado final atualmente é só pegar o celular, desbloquear, foto e pronto. Algum tempo atrás li que um dos grandes problemas do digital era esse. Não se pensa mais as fotos, na pose, na luz, no momento….pela facilidade, é só foto atrás de foto.

Então, de um lado temos a rápida propagação da internet e de outro o rápido crescimento de materiais que facilitam a produção. No que isto resulta?
Propagação de todo e qualquer tipo de conteúdo na internet. Ao cair na rede, ninguém pode prever quais caminhos o seu conteúdo irá tomar. O que pode ser EXTREMAMENTE perigoso! E por quê estou falando tudo isso?
Ao entrar na internet para ler as notícias diárias, dei de cara com esta daqui: Vítimas de ‘nude selfie’ e ‘sexting’ na internet dobram no Brasil, diz ONG (fonte: G1).

Este ano já ocorreu de uma menina cometer suícidio por causa de propagação de fotos íntimas sem consentimento. E vários outros casos onde a vida da menina que tem suas fotos divulgadas é completamente destruída. Sinceramente? Eu não vejo NADA demais em tirar umas fotos pelada. Faz parte da vida, todo mundo tem aquele momento descoberta, curiosidade, quer ver como fica o corpo na foto…todo mundo! Mas, INFELIZMENTE, vivemos em uma sociedade EXTREMAMENTE machista. Somos consideradas putas, vagabundas, safadas e merecemos todo e qualquer julgamento por parte da sociedade. E por quê? Não tem explicação para este tipo de comportamento. Nós mulheres não temos que sentir vergonha do nosso próprio corpo!

Enquanto a sociedade não muda ou avança a passos de tartaruga, cuidado com o que você compartilha na internet. Cuidado com as fotos que você tira (nunca se sabe, né, quem vai usar o seu celular ou se ele vai ser invadido ou não). E lutemos, lutemos contra todo este machismo e babaquice que impera na nossa sociedade. Sejamos mais Lasciva e menos Amélia.

Em tempo: o governo do Paraguai lançou uma excelente campanha sobre o cuidado que precisamos ter ao compartilhar coisas na internet. Vale muito ser visto, revisto e compartilhado.

 

Por onde anda…Márcia Imperator!

sex, 11/04/14
por Bárbara |

Eu sei que já estamos quase no meio de 2014 e tal, mas desde o início do ano estive pensando em mudar um pouco o blog. Trazer novos temas, novas ideias de postagens, mais contos (já percebi que a galera aqui gosta bastante de um conto – eu também adoro, sempre tiro altas ideias deles rs), etc. Outro dia parei para ver e tomei um susto! Meu primeiro post aqui foi em 2005! Gente, 2005! Esse ano este humilde espaço para notícias e discussões sobre sexo e sexualidade completa 9 anos! Nove anos de estrada. Eu mudei muito nestes nove anos, o mundo mudou, o blog mudou e aposto que quem me seguia por aqui também mudou um bocado. A única coisa que não mudou neste tempo foi minha vontade de escrever para vocês e a minha curiosidade e apetite sexual….

Pois bem, desde o início do ano comecei a pensar em como trazer novidades para vocês e  finalmente resolvi começar a implementar as minhas ideias, trazendo uma nova “coluna” para o blog: Por onde anda?
Porque bom, neste 9 anos a indústria pornô nacional mudou bastante. Em 2005 vivíamos o auge, tínhamos grandes estrelas fazendo pornô, novas estrelas surgindo e a indústria estava a todo o vapor. Gente, até o Alexandre Frota fez pornô! E agora, passados 9 anos, podemos dizer que estamos na beira do caos…quase todas as grandes estrelas de outrora se aposentaram, novas não surgem e temos que recorrer ao pornô internacional. Olha, nada contra, até por que eu amo o pornô feito lá fora….mas, sinceramente, não tem nada como ver uma boa foda à brasileira. O Sexy Hot permanece como o panteão neste meio, sempre trazendo as novidades do pornô brasileiro, mas a coisa toda anda bem complicada. Não vejo a hora de chegar o PIP e a gente poder ver o resurgimento de grandes estrelas aqui…

E foi justamente pensando nas grandes estrelas (que já nos deram tanta felicidade em momentos mais solitários) que resolvi criar essa nova coluna, a “Por onde anda?”. É uma maneira da gente descobrir que fim levou certas atrizes, por onde andam agora e o que estão fazendo. Não posso prometer uma coluna semanal, já que achar informações sobre o paradeiro de certas atrizes é uma verdadeira missão, mas estou fazendo o meu melhor para achar todo o material possível, informar vocês e prestar meio que uma homenagem a elas. E para inaugurar a coluna, eu escolhi a Márcia Imperator!

Olha, foi bem complicado descobrir o paradeiro dessa morena de parar o trânsito. Sua carreira de atriz/modelo despontou quando ela fez parte do quadro Teste de Fidelidade (quem aqui não se lembra desse clássico?). Quando saiu do programa, começou a ganhar dinheiro fazendo shows de striptease até chegar o convite de estrelar uma produção pornô. E à partir daí foi um sucesso (e punheta/siririca) atrás do outro…

Depois de pesquisar muito pelos confins da internet para descobrir por onde ela andava, achei uma matéria que trazia ela como entrevistada! Atualmente, a gata leva uma vida tranquila junto à família em Florianópolis:

“Márcia Imperator é talvez a atriz de Santa Catarina que mais emplacou no cinema nacional. Com uma filmografia vasta para quem tem apenas 38 anos – 14 produções oficiais, a maioria sucesso mundo afora –, ela ultimamente tem levado uma vida tranquila em sua casa no Rio Vermelho, em Florianópolis, onde cuida das três filhas e do lar. Atriz pornô internacionalmente reconhecida, ela está momentaneamente afastada das câmeras e dos sets de filmagem, e hoje viaja fazendo shows de striptease.

Dona de um corpo cheio de curvas bem definidas, tipo corpão violão, ela tem um rosto expressivo, quadrado, forte. Não tem pudores ou papas na língua ao contar detalhes da carreira, mas conta tudo com doçura. “Eu dei a cara para bater. Muitas mulheres se fazem de santa e estão traindo seus maridos.”

Literalmente deu a cara à tapa. Ela conta que em suas primeiras experiências como atriz pornô procurou levar para o set aquilo que como telespectadora gostaria de ver. “Pensei: eu não vou fazer o que já fazem. E eu adoro me masturbar”, conta. Assim, suas cenas mostram a verdade com que encara o trabalho e, portanto, gravar nunca foi nada como sexo em tom de martírio, muito pelo contrário. “Estava ali, com um gostosão, ganhando uma grana, por que não aproveitar?”, diz.

Márcia já contracenou com ícones da cinematografia pornô, como Alexandre Frota, Rita Cadillac e até Kid Bengala, famoso ator pornô brasileiro, conhecido por fazer jus ao apelido. Com ele, aliás, ela garantiu não ter tido nenhuma dificuldade. “Foi normal.”

Embora assista a filmes pornográficos, ela diz que prefere não assistir aos seus. E emenda histórias de bastidores das filmagens do gênero. “Os homens aplicam uma injeção próximo ao pênis para prolongar a ereção por até cinco horas.” Ela conta que durante as gravações de “Sexo na Fazenda” (2007), dirigido por J. Gaspar – diretor de filmes pornô premiado –, um dos atores precisou empurrar um carro da produção que atolou depois que caiu uma tempestade enquanto gravavam perto de uma árvore. “O cara teve que empurrar sem roupa mesmo e com o pênis ereto.”

Ela explica como durante as gravações é tudo muito profissional. “Chegamos ao local, cada um vai para o seu quarto, fica limpinho e cheiroso para a cena. A gente só se vê e se fala mesmo na hora.”

História de vida de cinema

Atuar como atriz pornô talvez tenha sido a profissão mais animada e financeiramente viável de Márcia Imperator. Sua história de vida remete a de uma Cinderela moderna e sem pudor. Ela já trabalhou na roça, como garçonete de bingo, foi babá, empregada doméstica, ajudante de cozinha, faxineira.

Ela nasceu na cidade paranaense de Boa Vista da Aparecida. Passou a primeira infância no interior de São Paulo e ainda antes de completar dez anos partiu com a família num fusca para o interior do Rio Grande do Sul. “Lá trabalhamos na roça.” De novo a família se mudou, dessa vez para Chapecó, Oeste catarinense. “A gente trabalhava plantando melancia, milho.”

“Então fugi de casa”, conta. Ela tinha 13 para 14 anos, e literalmente pulou a janela porque achava que apanhava muito da mãe. Mas no final das contas, segundo ela mesma, foi pior. Casou como alternativa à casa dos pais e quando tinha 15 anos nasceu a primeira das três filhas. Aos 21 veio para Florianópolis, onde trabalhou de tudo. Na época, para libertar-se de um namoro sufocante, viu como única alternativa mudar de cidade. Em São Paulo sua vida aconteceu.

Na Ilha já tinha alguma experiência com televisão, como participante de programas de auditório. Na capital paulista uma amiga a chamou para trabalhar com Sérgio Malandro. Depois de participar de inúmeros outros quadros na TV e figurante em programas humorísticos, finalmente a chamaram para fazer o “Teste de Fidelidade”, quadro num programa de João Kléber que se propunha a testar a fidelidade das pessoas. Ficou famosa. “Me disseram que tinha que ficar de calcinha e sutiã e beijar na boca. Eu disse que não tinha problemas. Não tinha namorado mesmo.”

Quando saiu da TV, passou a fazer shows de striptease, seu trabalho até hoje. Foi nessa época que seu empresário sugeriu o cinema. “Em 40 minutos eu ganharia uma grana preta”, comenta. Ligou então para os pais, consultou as filhas. “Meu pai disse: ‘dar você vai dar mesmo. Pior é dar de graça e ainda passar fome.’”. Ela não revela o quanto chegou a faturar, mas diz que conseguiu criar as filhas, comprar casa, carro.

Ela parou de fazer filmes porque a produtora faliu. “Outras me procuraram, mas ofereceram cachê inferior.” Namorando há três meses, o saxofonista de Florianópolis Jeovanny de Luch, 43, respeita o trabalho dela. “Não julgo”, diz ele. E Márcia diz que se surgir nova oportunidade para atuar, e se o cachê valer a pena, não pensa em negar. “Quem me critica é porque queria estar no meu lugar e não tem coragem”, dispara. (fonte: Notícias do Dia)”.

E então? Gostaram da nova coluna?
Alguma sugestão, algo à acrescentar, algum tema que vocês gostariam que eu tratasse aqui? Eu sempre (mesmo) aberta a opiniões (e o que vier!).

Beijinhos e exxxcelente sexxxta!

 

Serviço de utilidade pública

qui, 10/04/14
por Bárbara |

Não sei quanto a vocês, mas a minha quinta foi bem estressante…e para relaxar, tem coisa melhor do que uma boa punhetinha/siririca?
É por isso que hoje eu resolvi fazer este post utilidade pública. Clique, veja, reveja, divirta-se e boa gozada!

Comendo a tia gostosa

qua, 09/04/14
por Bárbara |

Depois de analisar alguns posts meus e alguns comentários, tenho percebido que o tema incesto é um fetiche que mexe bastante com o imaginário das pessoas e é um tema corrente por aqui.
Quem nunca teve tesão em alguém da família que atire a primeira pedra! Alguma prima, irmã, irmão, um tio ou uma tia gostosa…

———————-

Olá, meu nome é Theo e vou contar a história verídica do dia em que comi a minha Tia Anna. Vou começar me apresentando, tenho 20 anos (na época 16), 183cm e sou moreno. Minha Tia Anna é ruiva, seios médios, bunda redonda e empinada, baixa, 163cm, 37 anos (na época 33) e muito safada.

A história se passa no dia 6/12/2009, dia do último título conquistado pelo Flamengo. Aqui em casa moramos eu, meus pais, meus irmãos, minha tia e meus primos. Nossa casa é bem grande. Minha Tia Anna, tem um restaurante perto do Maracanã, o qual sempre fica lotado de clientes em dia de jogo. Todos aqui em casa somos Flamenguistas.

No dia do jogo contra o Grêmio, sobrou para mim, eu que tive ajudar Tia Anna, assim como todos tinham os seus turnos de ajuda. O restaurante de minha tia estava completamente lotado, não havia nem espaço para se ficar em pé. Ficou tão lotado que a cerveja acabou e tivemos que fechar mais cedo, o que não agradou minha tia, a coitadinha caiu em prantos, chorou muito, nunca tinha visto tia Anna naquele estado emocional. Esperei que todos pagassem suas contas e abaixamos as portas. Quando todos os funcionários saíram, eu fui procurar minha tia, ela estava na cozinha, chorando. Consolei-a e levei pra casa.

Assim que chegamos falei para ela dormir um pouco, porque iria se acalmar. Ela foi para o quarto e eu me sentei no sofá, liguei a TV, e esperei o jogo começar. Perto da hora do jogo, minha tia saiu só de calcinha e com a camisa do Flamengo e se sentou no meu colo. Não resisti e meu pau ficou duro, eu estava de short e logo ela percebeu. Mas, apenas, olhou e deu uma risadinha bem safada e disse: “Sua namorada deve ser bem feliz, hein…” Eu respondi: “Por quê?” Me fazendo de bobo. Ela falou: “Não é qualquer homem que tem um picão desse. Se eu achasse um assim, daria para ele todo dia.” Eu fiquei envergonhado e sem reação. Ela saiu do meu colo e deitou no sofá fazendo a minha coxa de travesseiro. Minha mãe ligou e disse que eu e minha tia ficaríamos sozinhos em casa, pois o resto da família tinha ido ao Maracanã ver o jogo e se o Flamengo ganhasse, iriam ficar até tarde na rua, comemorando.

O jogo começou e eu pensei: “Se ganharmos, vou bater uma punheta pra comemorar. haha” Dito e feito. Flamengo Campeão Brasileiro de 2009. Nos dois gols, abracei minha tia como nunca. Cada roçada na buceta dela que eu quase gozei. Assim que o jogo terminou, minha tia foi pro banho, pois estava muito suada. E eu fui bater a punheta desejada. Depois de uns 3 minutos, Tia Anna sai do banheiro para pegar uma calcinha e me vê na sala com a joba para fora. Ela ficou parada por um tempo, sem que eu percebesse a presença dela. Quando eu estava quase gozando, ela disse: “Theo, que pirocão é esse?!” Eu me assustei, não soube o que fazer. Fiquei parada olhando pra ela semi-nua, só de sutiã e toalha. Quando me dei conta da situação, guardei a joba e me levantei pedindo desculpas. Disse que estava muito envergonhado, e pedi pra não contar a ninguém, pois só pioraria a situação para mim.

Ela me olhou com uma cara de quem estaria pensando em um monte de coisas, mas ela só disse apenas uma: “Eu mandei você guardar esse pau?” Eu, surpreso, respondi: “Não…mas eu te respeito muito, não poderia falar contigo naquele estado.” “Então, quer dizer que você me respeita? Quando estou por perto, você está sempre com esse pau duro. Pensa que eu não percebo? Todas as vezes que você roça essa coisa na minha bunda ou na minha buceta, você acha que eu não sinto? Você tem um pau grande, Theo, tenho que admitir. Para falar a verdade, nunca vi um desse tamanho.” Eu, na minha ingenuidade, não notei a indireta e disse: “Normalmente, as minhas namoradas terminam comigo por causa do meu tamanho, dizem que não conseguem aguentar ou que machuca.” “Oh, jura, Theo? Fico triste por você, vem aqui, vamos conversar.” Eu fui, só que ao invés de irmos para o quarto dela, fomos para o banheiro. Perguntei: “Por que estamos aqui?” Ela respondeu: “Vou tomar um banho, você pode conversar comigo. Se quiser, sente-se no vaso e fale, pode desabafar, vou tentar te ajudar.” Logo depois, ela tirou a toalha, mostrando a sua bela buceta, depiladinha, no momento seguinte, ela virou-se de costas e pediu para que eu tirasse o sutiã dela. Eu estava muito perto daquela bunda, não pude deixar de olhar aquele rabo tão gostoso, como eu sentia tesão naquele cu. Ela chegou mais perto e encostou no meu pau, fui a loucura só de encostar na bunda dela. Tirei o sutiã e ela se virou de frente para mim. Uns peitos lindos, não eram grandes, mas eram lindos. Ela se dirigiu ao box e ficamos conversando sobre o porquê de eu não conseguir namorar muito tempo. Depois, mudamos de assunto e fomos para o futebol, nunca pensei que minha tia entendia tanto de futebol. Para uma mulher, era impressionante, ela sabia até o que era impedimento…enfim, ela saiu do banho e falou que não queria se vestir, e perguntou se eu não queria tomar um banho, pois estava muito suado. Eu tirei minha camisa, ainda sentado no vaso e ela falou: “Nossa, pirocudo e ainda é saradão, que isso…se eu tivesse um namorado assim, ele nunca ia ter problema com falta de sexo.” Fiquei com um pouco de vergonha. Logo tirei minha calça, ficando só de cueca box e o volume era colossal, assim como dizia tia Anna. Então, ela perguntou: “Menino, qual é o seu problema? Eu estou pelada na sua frente, você está de pau duro. Já disse que seu pau é lindo? Não? Então, pois é, sua pica é muito linda. O que eu preciso fazer pra você cair de boca nos meus peitos?” Eu virei para o lado e disse: “Só tomar um banho comigo.” Ela tem titubeou, entro no box num piscar de olhos, e eu entrei atrás dela, ainda de cueca.

Ela tirou a minha cueca e caiu de boca na minha rola, que boquinha de veludo era aquela, sempre desejei aquela cena, e havia se concretizado, que maravilha. Ela fez um boquete maravilhoso, mas não senti vontade de gozar. Quando ela parou, foi a minha vez, lambi aquela bucetinha, que thequinha gostosa, ela gemia, segurava na minha nuca, acho até que ela gozou…Acabei de lamber e ela virou-se para a parede e empinou aquele rabão pra mim, não pensei duas vezes, coloquei a pica na boceta dela, de uma só vez, ela urrou: “AAIIII, CARALHO, THEO!!! SEU PAU É GRANDE, CÊ NÃO PODE FAZER ISSO DUMA SÓ VEZ…PUTA QUE PARIU, AIII PORRA!!!” Eu tirei o pau e pedi desculpas, ela falou: “EU MANDEI VOCÊ TIRAR ESSE CARALHO DAI? BOTA ESSA PORRA DE NOVO, MAS BOTA DEVAGAR E COM JEITINHO.” Fiz o que ela pediu, botei primeiro só a cabecinha, depois fui socando o resto, devagar e sempre, ela gemia de prazer. “CARALHO, THEO, AAIIINNNN, QUE PICA GOSTOSAAAA, UUUIIIHNNN, QUE COISA BOA, QUERO TUDINHO, SOCA TUUDOOOOO, AAAIIIHEENNN…” Enquanto eu botava tudo, devagar, mais ela gritava e gemia. Quando chegou na metade, ela falou: “PODE SOCAR COM FORÇA AGORA, SEM PENA, SEM DÓ NEM PIEDADE, BOTA COM VONTADE.” Era tudo que eu precisava ouvir, soquei tudo, até o talo, ela urrou: “AAAAIIIEHN, ERA DISSO QUE EU TAVA FALANDO, PORRA. METE ESSE CARALHO, TODO, SEU CACHORRO. VAI, SEU FILHA DA PUTA, SOCA ESSA PORRA TODA, ARREBENTA ESSA BUCETA!!!!!!!” Eu ouviu aquilo e quanto mais alto ela gritava, mais forte e mais insanamente, eu metia. Que buceta gostosa era aquela, e aquela vista, aquele bundão empinado pra mim, ela na ponta do pé, com as pernas juntas, a buceta dela envolvendo totalmente o meu pau, foi o melhor momento da minha vida. Eu estava prestes a gozar quando ela disse: “Theo, vamos para o meu quarto.” Ela desligou a água e saiu do box, segurou na minha rola e me conduziu até o quarto, ela na frente e eu atrás sendo guiado pelo pau. Chegamos no quarto e Tia Anna me empurrou na cama, e não pensou duas vezes, e abocanhou meu pau. Chupou muito, colocou tudo na garganta, foi mágico. Nunca tinham feito isso comigo.

Eu estava quase gozando, mas segurei. Pedi para que ela sentasse no meu pau e ela sentou. Ela se ajoelhou e cavalgou na minha rola. Quicava muito gostoso, gemia e gritava: “AII, THEO, QUE PIROCÃO, QUE ROLA GOSTOSAAAAAAAA. NÃO POSSO MAIS VIVER SEM ESSE PAU, QUERO DAR PRA VOCÊ TODO DIA, NÃO VOU SUPORTAR FICAR SEM ESSA ROLA, UUUUHIEEEEEEEEEN, VAI CACHORRO, QUERO QUE VOCÊ ME COMA AGORA!!!” Então, ela parou de sentar e se apoiou nos pés, como se estivesse agachada, mas meu pau ainda estava metade dentro da sua buceta. E eu comecei a sequência, no início metia devagar e depois fui aumentando a força e a velocidade, chegou o momento em que ela berrou: “NÃO PARA, FILHO DA PUTA, METE, METE, METE CACHORRO, VAI PORRA, METE ESSE CARALHO, METE PORRAAAAAA, METE QUE EU TO GOZANDO, EU VOU…EU…EU TO GOZANDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO, AIIIIIHEEEEN, HAAAANNNN, UUUUIHEN, QUE ROLA GOSTOSA!!” Ela caiu pro lado e falou: “Foi a melhor gozada da minha vida. Agora, você pode gozar aonde quiser, pode gozar até dentro, que eu deixo, tomo pílula mesmo…” Eu ouvi aquilo e meu tesão subiu até o teto, eu iria gozar dentro da minha tia. Botei ela de ladinho, alojei a rola na portinha e botei só a cabecinha, fiquei com ela paradinha ali um tempo e Tia Anna sussurrou: “Vai, safado, mete nessa xoxotinha, quero sentir a sua porra quentinha, vai soca tudinho, bota até o talo, quero tudo. Vai, seu cachorro…ahiienn, uuhhieen.” Quanto mais ela sussurava, meu tesão dobrava e mais perto eu chegava do gozo. Parei num momento e botei ela de quatro, queria gozar olhando para aquela rabão. Tia Anna implorou: “Goza agora, safado, quero sentir sua porra quente. Vai, seu cachorro. Comendo a titia, né?! É isso mesmo, é isso que eu gosto, vou dar pra você sempre. Seu pau é o melhor de todos. Goza, pirocudo, goza pra mim!!”

Tia Anna sabia como fazer um homem sentir tesão. Eu meti nela, botava com raiva e ela gritava de prazer. Eu senti o gozo chegando e falei: “Tia, vou gozar dentro de você. Vou gozaaaaaaaaaaar…” “Isso cachorro, goza dentro de mim, quero tua porra quentinha na minha buceta, vai seu filho da puta. Cachorro, safado. Gozar pra titia, vai…” “Ai, tia, você é muito gostosa, eu to gozando, eu to…aaaaaaaaaaaaaaaahh, gozeei…” Eu dei uns 6 ou 7 jatos de porra lá dentro, tava tão gostoso que eu não queria tirar lá de dentro, meu pau estava caindo. Tia Anna deitou-se e eu deitei ao seu lado, minha porra estava escorrendo de dentro de sua buceta, para sua perna, descendo pela coxa…Que tesão. Ela virou pra mim e falou: “Vou tomar um banho, quer vir junto?” Nem respondi, já estava de pé na porta e fomos. Namoramos durante o banho, trocamos uns beijos e umas mãos, foi bem demorado, mas ficou por ai, ninguém tinha mais fôlego. Quando saímos, pelados, nossos parentes chegaram em casa. Eu fui correndo para o meu quarto e ela para o dela, nos vestimos e saímos quase ao mesmo tempo. Só ai que fui ver que horas eram, 1 hora da madrugada. Meus parentes passaram por nós e foram cada um para o seu quarto, fiquei calado, todos estavam bêbados. Olhei para Tia Anna e ela fez um sinal bem safado com o dedinho me chamando para o seu quarto, ela tirou a roupa de falou: “Deite-se e durma, quero dormir com essa pica quente perto do meu cuzinho, amanhã de manhã, ele será todo seu.” Fiz o que ela pediu. Estava ansioso para comer aquele cu. Mas isso é uma outra história…

via casadoscontos