“Orimashi”, o fetiche do xixizinho excitante

seg, 25/07/11
por Bárbara |
categoria comportamento

“Omorashi”, já ouviram falar disso?

Trata-se de uma prática sexual, originária do Japão. Seus adeptos tem uma excitação, quase que instantânea, por pessoas com bexiga cheia.

A tara específica pode ser curtida em diferentes espaços: ruas e avenidas, passando por prédios e parques.  O tesão está focado no alívio do ato de urinar, ou ainda, de ver pessoas urinando. Doido isso, né?!

 

Alguns taradinhos mais excêntricos chegam a usar até fraldas geriátricas, que subistituem calcinhas e cuecas nessa insólita fantasia sexual .

Há inclusive uma música, “I Wet My Self”, do grupo Crucified Barbara (olha só uma homenagem a minha pessoa… hehehe), na qual o Orimashi é o tema. Em sua letra, há trechos (traduzidos) como: “Ei caras, eu molhei minhas calças, é engraçado! Vocês deveriam tentar também!”.

No Japão, o tema é facilmente encontrado em sites e animes. Fora da terra do sol nascente, o fetiche começa a ganhar espaço. Na Nova Zelândia, por exemplo, é tema de diferentes publicações. Entre as mais cultuadas, destaque para a “Wet Set”. Nela, o ‘omorashi’ se alia a um sadismo recorrente, envolvendo garotas alternativas.

Aqui no Brasil, o fetiche é ainda pouco explorado, limitando-se às páginas específicas da web, esse território livre que alimenta o fetiche de qualquer taradinho, por mais específico que ela seja….

 

Leia também:

- Joguinho do xixi em público

- Mulheres já fazem xixi em pé

- ELE cansou de mijar tradicionalmente

 

 

Sorvete de leite… materno

seg, 25/07/11
por Bárbara |
categoria curiosidade

Olá, minhas delicinhas insaciáveis?!

Cá estou eu, de ressaquinha após um finde repleto de prosseccos gelado (adoro!) e transas quentes.

Bom, se você não é fã  de Lady Gaga, o tema desse post será uma novidade! Um restaurante de Londres lançou um sorvete feito com leite de mulheres e decidiu chamá-lo de Baby Gaga.

A “homenagem” à artista não para aí, se você for até o Icecreamists e pedir este sorvete, será servido por uma garçonete vestida como a Lady Gaga.

 

“Nos últimos cem anos ninguém fez nada interessantes com sorvete, eu quis reinventá-lo totalmente”, disse o fundador do Icecreamists, Matt O’Connor.

O restaurante é especializado em “peculiares” tipos de sorvetes, mas usar leite materno foi a coisa mais estranha que eles já fizeram. A primeira mulher a doar seu leite, Victoria Hiley, de 35 anos, encontrou um anúncio em um fórum na internet e ficou curiosa, se questionando se aquilo seria ou não verdade. Decidiu tentar e doou seu leite para o restaurante.

Agora eles estão procurando mais mamães que topem vender seu leite. Victoria disse que a sobremesa é uma delícia e derrete na boca. Para quem quiser saber a receita, além do leite retirado das mulheres com o uso de uma bombinha, o sorvete leva essência de baunilha e de limão. O preço é de US$ 22,50 e vem em um copo de Martini com nitrogênio líquido como cobertura.

Deveriam batizá-lo por aqui de “Leite Gaga”….Aliás, será que a artista homenageada, muito chegada numa extravagância, toparia experimentar?