Lubrificante sexual… de bacon!

seg, 21/11/11
por Bárbara |

Quando você acha que já viu de tudo nessa vida. Ai ai…

Essa novidade agradaria em cheio o personagem de desenho animado e glutão Homer Simpson… A J & D’s Foods lançou um lubrificante sexual de bacon! Isso mesmo, acreditem, eu disse bacon!

O produtinho bizarro se chama “Baconlube” e também é indicado para ser usado como gel numa sessão relaxante de massagem. Tá duvidando? Bom , eu também preferia acreditar que é mentira…

 

Tudo começou em 2009, quando a empresa lançou o produto – com o incrível nome de “McRib of Sex” – como uma brincadeira de primeiro de abril. Porém, o número de pessoas interessadas em comprar o produto fake não parou de crescer, segundo o “Huffington Post”.

Como havia uma verdadeira demanda, o lubrificante ganhou o mercado, ao preço de US$ 11,99 dólares (aproximadamente R$ 21 ).

Esses norte-americanos adoram uma bizarrice e extravagância. Podem anotar aí que eu não duvido nada: Próximos sabores e aromas a serem lançados: carne assada, galinha caipira, costelinha de porco e barbecue.  heheeh

“Mapona”: O primeiro filme pornô da África do Sul

seg, 21/11/11
por Bárbara |
categoria cultura pornô

Olá, taraditos?!

Hoje trago uma notícia histórica para os fãs da pornô-cultura. Trata-se do lançamento oficial do primeiro filme pornográfico da África do Sul.

O elenco do filme “Mapona Volume 1″ é composto inteiramente por negros. A ideia veio da comunidade virtual Sondeza , um tipo de Porntube africano, que iniciou o projeto, após receber queixas de cerca de 30 mil membros do site, cansados de pornografia importada dos EUA, Europa ou Ásia. Confrontados com este problema e demanda, os produtores ganharam a força necessária, em um país ainda muito conservador, onde a maioria da população é muito conservadora e fundamentalmente oposta à pornografia.

O filme  reúne atores pornôs amadores. Cerca de cinquenta pessoas responderam ao anúncio e se candidataram, mas poucos foram selecionados. O primeiro pornô-negro que acaba de chegar no mercado sul-africano ressalta a oportunidade de combate à  Aids, que ainda mata 1.000 pessoas por dia na África do Sul. Os atores -  três mulheres e dois homens – foram escolhidos após rigorosos teste de DST (doenças sexualmente transmissíveis) e HIV, estimulando assim a população a agir do mesmo modo.

Tau Morena, um produtor e fundador do projeto, disse ao Guardian: “Nós destacamos  na mídia a importância do sexo seguro, mas ninguém mostra. O filme ressalta o uso de preservativos, coisa que ainda pouco popular entre alguns grupos. Portanto, este filme transmite uma mensagem que é sexo seguro. Não finja que não é um filme hardcore de entretenimento adulto, mas ao mesmo tempo é também uma forma de educar e informar “.

O produtor disse que um segundo volume de Mapona, que foi filmado em três dias, já está sendo planejado, e pode ser acompanhado de materiais de sexo seguro educacional. Mas houve uma resposta cautelosa dos militantes do HIV / Aids. Rebecca Hodes, diretor-adjunto da Aids e a Sociedade de Pesquisa da Unidade de Cape Town University, disse: “Eu não tenho certeza se é uma coisa boa, mas é uma pequena coisa boa que eles estão usando preservativos”.

Outro sinal da volta do mercado erótico à Àfrica do Sul foi o anúncio da volta da Playboy ao país, após uma ausência de 13 anos.

Li e traduzi daqui