Puta crise!

seg, 16/04/12
por Bárbara |
categoria notícias

Sexo é prazer, diversão, lazer, mas não podemos desconsiderar que também é dinheiro, su$tento de muito(a)s, e que também move a Economia…

Sei que uma crise econômica está rolando forte e que o custo de vida não tá nada bom para ninguém… Mas, olha essa última!:  As prostitutas de luxo de Madri estão decretando greve de sexo aos seus clientes banqueiros. Elas pedem para que os funcionários das instituições financeiras abram linhas de crédito para oferecer a famílias carentes e empresas à beira da falência.

A Espanha enfrenta atualmente uma de suas piores crises econômicas, com as taxas de desemprego atingindo 23%. Com as incertezas sobre o mercado de trabalho e pouco dinheiro circulando no país, os bancos diminuem a oferta de crédito a seus clientes.

As garotas de programa dizem que a paralisação continuará até que os banqueiros “cumpram suas responsabilidades sociais” e comecem a oferecer empréstimos maiores à população. “Nós somos as únicas com capacidade real de pressionar o setor”, disse a principal associação de prostituição do país.

Segundo o tablóide, os banqueiros têm tentado contornar o protesto, dizendo que são arquitetos ou engenheiros às prostitutas, mas a tentativa não tem funcionado. Os executivos dos bancos até já acionaram o governo para tentar mediar o assunto.

Para a prostituta conhecida como AnaMG, a paralisação não deve durar muito.

“Estamos em greve há três dias e eu não acho que eles agüentem mais tempo”, disse.

Ela conta que a ideia veio de Lucia, uma das mulheres da associação, que disse que só faria sexo com o funcionário de um banco se ele concedesse um empréstimo a um conhecido.

Na Europa, os banqueiros parecem ser as pessoas mais mal vistas na atualidade. Ser filho da puta já não tem problema, elas têm dignidade…. fecham as pernas e e não se vendem para qualquer um.

[Daily Mail]

Sexualidade sobre quatro rodas

seg, 16/04/12
por Bárbara |
categoria vídeo

Olá queridos taradinhos,

Hoje, quero apresentar pra vocês um comercial interessante e divertido que recebi por e-mail.  O que aparentemente é uma simples propaganda da indústria automotiva,  revela uma faceta bem direta e interessante dos relacionamentos humanos! A-do-ro mergulhar nessas minhas viagens psicológicas, analisar livros, filmes e até mesmo propagandas para depois divagar sobre elas…

Bom, o foco da propaganda é como dois meninos enxergam o carro como um instrumento.

No primeiro caso, o garotinho diz que quer conquistar uma garota sensacional quando crescer. Para isso ele usa como instrumento um belo carrão importado,  conversível. Faz até o estereótipo de magnata, de terno e anel no dedo… Cômico, mas eu diria que o enfoque dado pode até ser considerado “normal”, diante do universo masculino de valorizar poder e dominação…

O outro menino, dentucinho, que “quando crescer vai querer ter uma Kombi”, surpreende a todos indo contra o senso comum dos desejos masculinos infantis! Não basta um bom carro para conquistar garotas, o sonhador danadinho quer é um veículo com espaço suficiente para guardar o resultado de todas as suas conquistas…

Na verdade, tudo soa como um grande contraponto entre “Aparência X Inteligência”

Veja você mesmo e tire as suas próprias conclusões!:

Bom, vale considerarmos que esse comercial foi feito há 14 anos. Outra época, valores diferentes, nos quais não havia muito espaço para o “politicamente correto”.

Os moralistas dirão que é um absurdo um comercial desses ficar incentivando a poligamia, que passa para as crianças a mensagem de que tudo bem pegar o máximo de mulheres possível, não vai ter nenhum consequência…

Até aí uma babaquicezinha hipócrita, porém acho que ele incentiva as crianças a dirigirem e, consequentemente, roubarem os carros de seus papais! Ao mostrar as crianças dirigindo, dá a ilusão que dirigir é algo realmente fácil e isso pode causar uma má influência nos espectadores dessa faixa etária.

Aí o moleque bate com o carro (quiçá faz vítimas graves) e depois argumenta: “mas eu vi o garoto do comercial dirigindo…”

ou então…

“Quando eu crescer, eu quero um ônibus igualzinho aqueles de Londres…”  heheheeh